New PDF release: A Caverna

By José Saramago

Livro do escritor português José Saramago, A caverna (2000) disseca, através da história de pessoas comuns, o impacto destruidor da nova economia sobre as economias tradicionais e locais. Trata-se da história de uma família de oleiros que vê sua vida transformada com a chegada de um grande centro de compras à cidade.[1]
O próprio shopping mall pode ser fisicamente comparado a uma caverna, mas a história vai além dessa comparação e traça paralelos inclusive com o mito da caverna de platão e a questão dos simulacros.

Show description

Read or Download A Caverna PDF

Similar fiction books

Get Capital PDF

Celebrated novelist John Lanchester (“an stylish and beautifully witty writer”—New York instances) returns with an epic novel that captures the obsessions of our time. It’s 2008 and issues are falling aside: endure Stearns and Lehman Brothers are going lower than, and the citizens of Pepys highway, London—a banker and his shopaholic spouse, an previous girl death of a mind tumor and her graffiti-artist grandson, Pakistani store vendors and a shadowy refugee who works because the meter maid, the younger football megastar from Senegal and his minder—are receiving nameless postcards analyzing “We wish What you could have.

Get The Casual Vacancy PDF

Whilst Barry Fairbrother dies abruptly in his early forties, the little city of Pagford is left in surprise. Pagford is, doubtless, an English idyll, with a cobbled marketplace sq. and an old abbey, yet what lies in the back of the gorgeous façade is a city at struggle. wealthy at conflict with terrible, children at conflict with their mom and dad, other halves at struggle with their husbands, lecturers at conflict with their pupils….

Thomas Pynchon's V. PDF

The wild, macabre story of the 20th century and of 2 men—one trying to find whatever he has misplaced, the opposite with not anything a lot to lose—and “V. ,” the unknown lady of the identify.

Additional resources for A Caverna

Example text

Fora ali que uma paragem cardíaca fulminante cortara a vida de Justa Isasca. Marta foi sentar-se no banco do outro torno e esperou. Ao cabo de um longo minuto o pai olhou para ela, depois desviou a vista. Marta disse, Não se demorou muito tempo na vila, De facto, não, Perguntou em todas as casas se conheciam o cão, se alguém seria dono dele, Perguntei numas quantas depois achei que não valia a pena continuar, Porquê, É isto um interrogatório, Não, pai, é só uma tentativa para o distrair, custa-me vê-lo triste, Não estou triste, Então, desanimado, Também não estou desanimado, Muito bem, está como está, mas agora conte-me por que achou que não valia a pena continuar a perguntar, Pensei que se o cão tinha dono na vila e fugira dele, e, podendo voltar, não voltara, era porque desejava ser livre para procurar outro, portanto eu não tinha o direito de lhe forçar a vontade, Vendo as coisas por esse lado, tem razão, Foi o que eu disse, precisamente por essas palavras, Disse-o a quem.

O cão já havia levantado a cabeça quando o viu, e agora, escutado finalmente o nome por que esperava, saiu da casota em corpo inteiro, nem cão grande nem cão pequeno, um animal novo, esbelto, de pêlo crespo, realmente cinzento, realmente a atirar para o preto, com a estreita mancha branca que lhe divide o peito e que parece uma gravata. Achado, repetiu o oleiro, avançando mais dois passos, Achado, vem aqui. O cão ficou onde estava, mantinha a cabeça alta e meneava devagar a cauda, mas não se moveu.

O oleiro levantou-se, afastou a cortina da janela, Não o vejo na casota, disse, Anda por aí, a cumprir a sua obrigação de guardião da casa, a vigiar as cercanias, Se é que não se escapou, Tudo pode suceder na vida, mas não acredito. Inquieto, receoso, Cipriano Algor abriu bruscamente a porta e quase tropeçou com o cão. Achado estava estendido no capacho, meio atravessado no limiar, com o focinho virado para a entrada. Levantou-se quando viu aparecer o dono e esperou. Está aqui, anunciou o oleiro, Bem vejo, respondeu Marta lá de dentro.

Download PDF sample

A Caverna by José Saramago


by Joseph
4.0

Rated 4.88 of 5 – based on 26 votes